Blog

Nossos destaques

Valuation: como saber quanto vale a sua empresa?

  • Notícias
  • Nenhum comentário

Você montou uma startup, ela está faturando, crescendo com cadência, você conhece as principais métricas do negócio (custo de aquisição de clientes, quanto eles deixam de dinheiro para a sua empresa, quais seus custos, seu ponto de equilíbrio), enfim… Você está fazendo a tarefa de casa e agora precisa de dinheiro para crescer.

Opa! Essa é a hora de buscar uma rodada de investimento. Mas como saber o valuation da sua startup? Pra você, ela provavelmente será um unicórnio em potencial; para os investidores, é um modelo a se provar, e, acredite, gerenciar a expectativa é fundamental para que você conclua a captação.

500 mil é muito ou é pouco? Devo melhorar meu salário nesta situação e embolsar uma graninha? Qual o percentual da minha empresa que devo oferecer para ser atrativo?

Primeiro, entenda que você não está fazendo exit. Para o empreendedor, a jornada ainda é longa, e o dinheiro do investimento é para o NEGÓCIO, e não para o empreendedor passar férias em Miami. Concentre-se em usar o dinheiro nos lugares certos para aumentar a venda, geralmente pessoas e marketing.

Você se voltou para o seu negócio, e aí? Ele vale 1 milhão ou 100 mil? Quero te dizer que uma coisa só vale o que você acha que vale quando tem alguém disposto a pagar esse valor. Se você quer vender seu apartamento por 1 milhão, mas só recebe ofertas de 500 mil, então há uma clara desarmonia entre o que você pensa e o que o mercado pensa. Seu apartamento não deve valer 1 milhão.

Para as startups, a lógica é a mesma. Não é porque você diz que a tecnologia é sensacional que o valuation sobe, entende?

Quando nós vendemos o Burger King junto ao IPO da Burger King Brasil (empresa tradicional), usamos múltiplos de EBITDA (lucro operacional) para valorar o negócio. Por isso, quanto mais competente a nossa gestão, maior o valor da companhia.

Perceba que o valor de um negócio está diretamente relacionado à sua capacidade de GERAR CAIXA. Quando um negócio é vendido, troca-se dinheiro de hoje por um fluxo de caixa futuro.

No caso de empresas nascidas para escalar, é mais complicado usar a lógica do múltiplo. Elas estão nascendo em condições de incerteza, vão se arriscar demais no caminho e dificilmente gerarão caixa no início — até porque é preciso reinvestir para crescer.

 Mas como fazer o valuation, então?

Particularmente, gosto de trabalhar com fluxo de caixa descontado, onde faço a simulação de uma DRE pelos próximos 5 a 10 anos, para entender a taxa de perpetuidade desse negócio. Este instrumento entrega pelo menos um norte.

Esse norte vai me ajudar a entender também “o tamanho do bicho”. Potencial de crescimento, potencial de faturamento, previsão de despesas, breakeven, etc… Até pra saber se o negócio realmente vale a energia.

Alguns anjos só valoram a empresa na rodada seguinte. Eles estabelecem uma taxa de desconto e acordam os percentuais na próxima captação. Já outros têm critérios estabelecidos: 200 mil por 7% do negócio, por exemplo.

Dica: não comprometa demais seu cap table no começo da jornada.

Acima de tudo, se você está em fase de valuation e com a empresa em jogo, vale a pena considerar ajuda especializada. Uma consultoria certamente pode oferecer serviços pontuais, eficientes e evitar muita dor de cabeça futura. Pense nisso e não deixe que o barato saia caro. Bons negócios!